Tempo estimado de leitura: 5 minutos

É provável que você já tenha ouvido que o Brasil está nas primeiras posições do ranking de países com maior carga tributária do mundo, além de uma legislação longa e complexa. Tendo em vista a burocracia desse sistema, é fundamental que dentro das organizações haja a presença de um profissional responsável por essas demandas. Por isso, fazer a administração de um departamento fiscal abrange lidar com uma diversidade de colaboradores, como o analista fiscal.

Entretanto, você sabe o que faz um analista fiscal? Para compreender melhor as atividades desse profissional, preparamos este post com suas principais demandas e o que fazer para seguir nessa carreira.

Então, continue a leitura e fique por dentro!

Envie sua vaga

O que significa ser analista fiscal?

Esse é o especialista que exerce as demandas fiscais de uma organização, como lançamento de escriturações, assistência fiscal de entradas e saídas de mercadorias e tributos, além de várias outras responsabilidades. Esse profissional trabalha com muita proximidade dos gestores e do setor financeiro, fazendo o acompanhamento das operações financeiras e tributárias.

O analista faz praticamente as mesmas atividades que um escritório de contabilidade. Por isso, ter esse tipo de colaborador fazendo parte da equipe significa não ter preocupações com as exigências da legislação fiscal, já que ele será o responsável por todas essas ocupações.

Para pessoas que desejam atuar no meio empresarial, é comum fazer a confusão entre o cargo de analista fiscal e a função de analista tributário, pois as atividades são parecidas. Em empresas de menor porte, o analista fiscal faz ambas as funções, em um cargo denominado como analista fiscal tributário. 

Entretanto, no caso de empresas maiores ou no crescimento do negócio, a estrutura organizacional dos cargos pode ser alterada e as áreas passam a ficar mais específicas, dando início à divisão do setor tributário com o setor fiscal. 

Ao passo que o departamento fiscal atua diretamente com tarefas operacionais para o cumprimento das leis do Fisco, o departamento tributário fica responsável pelas demandas mais estratégicas, desenvolvendo meios para obtenção de vantagens fiscais, compensação de créditos de impostos e redução de custos.

Leia também: Como se tornar um analista financeiro? Saiba qual a formação

O que faz um analista fiscal?

Variadas atividades podem ser dispostas a um analista fiscal, devido à sua importância para o bom funcionamento do negócio e o cumprimento da lei. Dentre todas elas, é possível evidenciar algumas atividades que são globais e mais rotineiras, enquanto outras envolvem análises.

Por isso, listamos os dois tipos de atividades que envolvem a análise do profissional fiscal:

  • análise do balancete fiscal;
  • análise e produção de relatórios periódicos para a diretoria;
  • colaboração eventual no planejamento tributário da organização.
  • conciliações e suporte nos fechamentos e demonstrações contábeis;
  • informações aos departamentos da empresa, em relação ao recebimento de documentos de entrada e saída de mercadorias;
  • observação da legislação tributária;
  • revisão do regime tributário da companhia;​

Está a procura de uma oportunidade?​ ​

A Robert Half é referência em recrutamento especializado e pode ter a vaga perfeita para o seu perfil. Veja as nossas oportunidades disponíveis e envie seu CV!​ ​

Atividades da rotina de um analista fiscal

  • apuração dos impostos;
  • acompanhamento de entradas e saídas de mercadorias;
  • ajuda na organização fiscal de novos produtos;
  • cálculo e declaração de tributos diretos e indiretos, conforme a legislação fiscal e as normativas internas;
  • conferência da documentação fiscal;
  • conferência de notas fiscais de entrada e de saída;
  • conferência dos lançamentos fiscais;
  • contabilização de folha e encargos trabalhistas;
  • declarações federais e estaduais;
  • emissão de guias de recolhimento;
  • emissão de notas fiscais;
  • entrega de obrigações fiscais, como Sped Fiscal e Dime;
  • escrituração fiscal;
  • registros de movimentações financeiras;
  • substituição e antecipação tributária;
  • verificação dos dados cadastrais dos fornecedores diante do Fisco.

Confira também:Como ser um advogado home office? Veja 5 dicas para advogar de casa

Como é a formação de um analista fiscal?

Ter uma base completa de conhecimentos é fundamental para desempenhar as tarefas cotidianas com eficiência. Além disso, os conhecimentos adquiridos são o alicerce do profissional e, por meio deles, é possível se especializar, criando oportunidades de crescimento profissional. 

Devido às tarefas do analista fiscal estar diretamente relacionada à gestão de um negócio, é fundamental que sua formação também seja na área, podendo se graduar nos seguintes cursos superiores:

  • administração — o curso tem uma variação no tempo de duração entre 4 e 5 anos, dependendo da instituição de ensino. A formação no curso de administração permite obter conhecimentos multidisciplinares e com muita base teórica, como disciplinas de teoria organizacional, marketing, finanças, recursos humanos, produção etc;
  • economia — a grade curricular desse curso é direcionado para os conhecimentos da área de ciências humanas e ciências exatas, como econometria, cálculo, introdução à ciência política, economia política, história do pensamento econômico etc;
  • ciências contábeis — o curso de ciências contábeis conta com disciplinas que envolvem a administração financeira das empresas, direito, economia, português e sociologia. Assim, as aulas são direcionadas para a formação técnica de contabilidade, planejamento e contabilidade financeira.

Saiba que, ao escolher a instituição que vai estudar, é importante verificar a certificação do Ministério da Educação, caso contrário, você corre o risco de o diploma não ser válido. Além da graduação, para conseguir ocupar esse cargo, um diferencial é ter experiência em outros cargos, como assistente fiscal e analista contábil.

Buscar a especialização em um curso de pós-graduação ou em cursos específicos para a área fiscal também poderá ajudar a se tornar um analista fiscal. Profissionais que buscam se atualizar e têm habilidades de formação contínua têm a possibilidade de conseguir melhores salários em grandes empresas. Aliás, esse é um questionamento muito comum entre profissionais que desejam seguir uma carreira de analista fiscal. Afinal, quanto ganha esse profissional?

Conforme os dados atualizados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), a média da remuneração de um analista fiscal é de R$3.846,77. Entretanto, esse valor pode variar de acordo com a região onde a empresa está estabelecida e as qualificações do profissional. Assim, a faixa salarial do analista fiscal gira entre R$3.297,00 e o teto salarial de R$8.240,61, visto que R$3.748,43 é a média do piso salarial de 2022, conforme acordos coletivos de profissionais CLT de todo o Brasil.

Então, finalmente, o que faz um analista fiscal? Resumindo, ele é responsável pelos procedimentos fiscais que envolvem um negócio. Seu papel é essencial para a gestão estratégica e para os processos de tomada de decisão, representando uma repercussão positiva nos resultados financeiros da empresa.

Ficou com alguma dúvida ou tem algo a acrescentar? Deixe um comentário!